top of page

Como identificar um vinho falsificado ou ilegal

Infelizmente, o mercado de vinhos oriundos do descaminhos e até falsificados vem ganhando muita força no Brasil nos últimos anos.

Para se ter uma ideia, em 2018, foram apreendidas cerca de 45 mil garrafas de vinho no Brasil. E em 2021, este número saltou para cerca de 595 mil garrafas, cujo valor estimado é de 90 milhões de reais.

Precisamos estar atentos e combater essa prática ilegal que vem crescendo em nosso país. Os vinhos de descaminho mais conhecidos como contrabandeados, mesmo quando não são falsificados, são transportados em condições precárias, chegando ao consumidor sem a qualidade que deveriam ter. Além disso, investigações da Polícia Federal apontam a participação de organizações criminosas nessas atividades. Mas você sabe como identificar se um vinho é legal?


COMO IDENTIFICAR UM VINHO DE DESCAMINHO OU FALSIFICADO

  • Atenção ao contrarrótulo: O contrarrótulo do vinho precisa estar em português, como é descrito em lei federal. Também deve conter lista de ingredientes, tipo (vinho tinto fino, por exemplo), além do nome e endereço da importadora responsável localizada no Brasil. Se o vinho apresenta seu contrarrótulo em outra língua, essa garrafa não foi importada de forma adequada.

  • Observe o registro do MAPA: Toda bebida regularizada em nosso país possui um número de registo junto ao MAPA (Ministério da Agricultura e Agropecuária) garantindo que este produto foi submetido a diversos testes e está apto a consumo. Se a garrafa não apresentar essa informação, desconfie.

  • Embalagem: Verifique com cautela a embalagem, a rolha e a rotulagem da garrafa. A vedação e o lacre também são pontos de atenção.

  • Preço do produto: Sem dúvidas um dos principais indícios. Esteja atento a preços muito abaixo dos praticados pelo mercado. Hoje é possível encontrar vinhos comercializados por menos de 50% do valor do produto legal praticado no mercado – desconfie!

  • Nota fiscal: Busque adquirir seus rótulos com fornecedores de confiança e que emitem notas fiscais. A venda de produtos sem nota fiscal é uma prática muito comum para a distribuição de produtos ilegais.

QUAIS OS RISCOS DE COMPRAR OU CONSUMIR VINHOS FALSIFICADOS OU CONTRABANDEADOS?

  • Risco à saúde: vinhos contrabandeados / falsificados não são inspecionados e nem regulamentados, podendo conter ingredientes tóxicos, como iodo, álcool etílico e metanol. Esta última substância, por exemplo, é altamente tóxica, podendo causar danos ao fígado, cegueira e até mesmo à morte. Muitas vezes, esses ingredientes são utilizados na produção do álcool falsificado para torná-lo mais barato e também para melhorar o seu sabor.

  • Comprar e/ou comercializar produtos ilegais é crime: é configurado como crime de receptação, previsto no artigo 180 do Código Penal: “adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte”, sendo a pena de reclusão de um a quatro anos e multa.

  • Além de também configurar no crime de sonegação de impostos, uma vez que se deixa de arrecadar milhões em tributos prejudicando a sociedade e o Estado.

  • Financiamento do crime organizado: A maioria dos produtos falsificados são produzidos em locais clandestinos dirigidos pelo crime organizado, onde os lucros financiam grupos terroristas e traficantes de drogas e pessoas.


Fonte: EducaVinhos


287 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page